Google+ Followers

domingo, 30 de setembro de 2012

Já não há histórias... como havia antigamente!

Pois parece que as Histórias de Encantar para além de estarem a cair em desuso também estão a ser alvo interpretações pouco... hum  pouco ''realistas''.

Como grande apreciadora que sou dos mais variados universos fantásticos (desde a ficção cientifica com os seus extraterrestres e batalhas intergaláticas a histórias Medievais com princesas, cavaleiros e dragões), ontem decidi ver um filme relativamente recente que dá pelo nome de "A Branca de Neve e o Caçador" do qual já tinha conhecimento de alguns comentários menos bons sobre o mesmo mas a promessa de um filme ''fantástico'' carregado de efeitos especiais deixou-me com o bichinho a morder-me o cérebro e lá cedi á tentação e acabei por ver o dito filme... e no final...

  
É que nem sei bem por onde comece...
1º - Se bem me lembro, a Branca de Neve sempre foi a princesa na Disney mais ''Feliz'' de todas, a mais amável e bem disposta de todas... e para interpretar este papel escolhem a gaja que só sabe fazer papel de depressão (famosa pela interpretação da personagem feminina principal da saga dos ''Vampiros Mariconso'' que o comum dos mortais como ''Twilithg'')!!! 
Claro que vamos ter uma Branca de Neve deprimida e completamente ''out'' do mundo, desta vez acaba por não sofrer de amor, mas também não se percebe lá muito bem do que é que está a sofrer.
Para além de um sem fim de coisas que não fazem o mínimo sentido neste filme, a coroação final Branca de Neve quando se torna Rainha deve ser das coisas mais sem sentido de sempre, a falta de emoção e de gloria inerentes a esse momento foram ZERO... ZERINHO... NADA!!!
Sim...isso sem mencionar o discurso dela aos ''Cavaleiros'' antes de partirem para guerra... UÍ... Isso nem sei bem como caracterizar, realmente aquilo foi apelo e ao sentimento, á vontade interior de cada um, foi uma explosão de emoção e motivação! MENTIRA!!!  (Com aquela conversa a mim ninguém me tirava de casa para ir beber café e falar sobre o ''nada'', quanto mais enfrentar uma guerra onde provavelmente iria ter de ter um conversa muito séria com morte).

2º - Afinal não é o príncipe que a salva da maçã com um beijo, é o Caçador, que vá lá perceber-se porque parece que no final do filme tinha estabelecido uma relação emocional com a princesa muito forte (durante todo o desenrolar da acção essa ''ligação'' nunca é referenciada, eles que mal falam um com o outro e passam o tempo a fugir dos Maus).

3º - O suposto Príncipe afinal não é Príncipe nenhum, é filho de um Conde e cá para mim que este também devia estar na história errada já que o gajo parecia mais o Robin Wood como arqueiro exímio que era, e na verdade estava lá para ''devolver'' ao povo (os pobres) o que a Rainha má lhes tinha roubado.

Bom não vou gastar mais caracteres a escrever sobre esta bela historia tão bem interpretada, mas gostava antes de terminar de referir que houve alguns bons efeitos especiais, todos eles tendo a Rainha Má como interprete, o transformação do espelho é muito boa, o banho dela numa cena banca branca que suponho ser leite também está muito nice e quando ela volta ao castelo e aparece numa ''poça de alcatrão'' também estás mega fixe. 











Sem comentários :

Enviar um comentário